Novos parâmetros curriculares ou doutrinação das crianças?

O governo do PT e o que tem de mais radical e atrasado na sociedade brasileira estão dando a cartada final na doutrinação da sociedade através das crianças. Na disciplina de história simplesmente querem tirar a história da civilização ocidental, do Império Romano a Revolução Francesa, substituindo pela história indígena e sua formação étnica, por outro lado e não por acaso, a história americana.

Assim, na sala de aula, os professores já devidamente doutrinados poderão se apoiar nos conteúdos para demostrar a desgraça do capitalismo e imperialismo americano subjugando a inocência dos índios. Ainda mais, farão a defesa intransigente do coitadinho e a devida punição do monstro comedor de crianças do capitalismo.

Não serão ensinados para nossos alunos a base da democracia ocidental, os avanços nos direitos humanos e individuais da Revolução Francesa, nem tão pouco a importância para a formação da diversidade brasileira da emigração européia até o século 20.

Em língua portuguesa para os alunos do quinto ano, ou seja, com 10 anos de idade, os professores ensinarão a fazer abaixo assinado para reivindicar seus direitos, organizar movimentos etc.

Percebam que o processo está muito bem desenhado, pois no último ano da primeira etapa do Ensino Fundamental, em que os alunos estão com pedagogas, professores ainda não muito doutrinados, mas deixando o caminho asfaltado para os professores de história, geografia e filosofia do sexto ano do Ensino Médio trabalharem a doutrinação e demonização do capital e o endeusamento do socialismo é o “coitadismo”.

A partir dessa aberração deverão ser confeccionados os livros didáticos e materiais pedagógicos. No final, na avaliação do ENEM basta valorizar esses conhecimentos. Pronto: teremos jovens socialistas e votos com a visão socialista/coitadista dessa gente.

Não podemos permitir uma aberração dessa natureza. Não bastasse todos os prejuízos, financeiros, moral, o sentimento de coitadinho, o aumento do preconceito, essa discussão de gênero, e muitas outras mazelas invisíveis que o PT está deixando a nação brasileira. Em todas as mudanças feitas na educação, como se fosse possível melhorar a educação fazendo leis e doutrinando as pessoas com essa visão socialista de esquerda radical.

Essa mudança no currículo será feita como sempre fizeram, como por exemplo nas conferências nacionais de educação e no Plano Nacional de Educação (PNE). Fazem de conta que discutem com toda a sociedade, com o discurso de ampla participação, mas na verdade é um grupo de radicais incrustados no MEC que escrevem e divulgam o que querem.

Formaram um grupo de mais de cem pessoas, criteriosamente escolhidos por eles mesmos, divulgaram um documento base em outubro e o documento será finalizado em janeiro. Nesse período em que as escolas estão finalizado o ano letivo, sem prazo para estudar e propor qualquer sugestão, mas evidentemente que essa é a intenção, pois em todos os pseudos grandes envolvimentos da sociedade o fato de ter mais tempo não significou que as sugestões fossem aproveitadas, o que prevaleceu foi a visão socialista de esquerda. Precisamos urgentemente de ajuda para barrar isso.

Ademar Batista Pereira – educador, diretor de escola e vice-presidente da FENEP (Federação Nacional das Escolas Particulares).

Print Friendly, PDF & Email
This entry was posted in Artigos. Bookmark the permalink.

One Response to Novos parâmetros curriculares ou doutrinação das crianças?

  1. Parabéns por seus artigos. Chega de manipulação da nação brasileira. Até omde vamos assistir inertes está avalanche atrasista soterrar nossas perspectivas? Que democracia é a nossa onde minorias estão impondo-nos suas crenças e interresses?
    Ou nos mobilizamos, alinhando nosso país com mundo desenvolvido ou choraremos quantos as lágrimas forem inúteis.
    Se o socialismo não deu certo em lugar nenhum do mundo, nem mesmo na Alemanha, como daria certo no Brasil?
    Brasileiros, despertemo-nos do sono ingênuo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *