A vida e as pedras no caminho!

Ao longo da vida o ser humano passa por diversas e importante fases. Após o nascimento temos a primeira infância até mais ou menos os 6 anos, a segunda até os 10, a adolescência seguida da vida adulta e a velhice que chega depois dos 60 anos. As pedras normalmente chegam para acompanhar a fase mais longa que é a vida adulta, portanto, entre os 20 e 60 anos. Trata-se da etapa na qual sofremos mudanças mais lentamente se comparadas com as dos 0 aos 20 anos e dos 60 aos 80, pois sem muito esforço a vida adulta se resume a três atividades: trabalhar comer e dormir.

E passamos a vida adulta buscando “ouro”, e invariavelmente encontramos pedras. O ouro é a felicidade, dinheiro, poder, reconhecimento, sucesso, porém nesta busca o que encontramos também muito são pedras. Neste caminho, diariamente pegamos as pedras e pensamos: “puxa, pedra de novo” e as jogamos para trás. Uns poucos e sábios analisam cada pedra que pegam, seu tamanho, cor, formato e separam-nas por alguma classificação. Outros, mais visionários, observam o ambiente ao seu redor e descobrem que precisam de um muro. O fato é que ao longo da vida a maioria das pessoas passa reclamando que só encontra pedra e vai jogando-as para traz. Com isso, ao chegar aos sessenta anos o que ela tem é apenas um monte de pedras atrapalhando formando sua trajetória. Enquanto isso, os sábios têm vários montes organizados por tamanho, cor, formato, que podem ser vendidos de acordo com sua utilidade. Já alguns poucos têm o seu muro construído, pois separou as pedras no formato necessário e na hora de folga levantou o muro, então com a venda das pedras pôde realizar alguns projetos e com a construção do “muro” que pode ser o sonho.

O que dá sentido à vida adulta – além de trabalhar, comer e dormir – são os projetos e os sonhos, sendo que são coisas diferentes! Por exemplo, fazer um curso superior é um projeto, pois podemos marcar e organizar o início e fim. Agora se realizar na profissão escolhida é um sonho, pois precisamos fazer por toda a vida. Vale destacar que nem sempre conseguiremos total realização, pois trata-se de um processo de buscar “ouro” e encontrar pedra.

Se casar também é um projeto, podemos marcar a data, fazer uma festa, porém ser feliz no casamento é um sonho. O mesmo vale para quem deseja ter um filho: o projeto preve programar, organizar a chegada do bebê e sua rotina, porém educar um filho é um sonho, pois passaremos a vida toda fazendo isso e provavelmente nunca estaremos satisfeitos, trata-se novamente de um processo de procurar “ouro” e encontrar pedras.

Portanto, a vida adulta é uma longa jornada em que passamos os dias escavando pedras em busca de ouro, e a maioria das pessoas não se dá conta que o “ouro” não existe ou, se existe, está limitado até para manter o valor elevado que sempre teve, pois se ouro fosse abundante e pedra escassa os valores simplesmente seriam inversos. Portanto, temos que continuar a busca do “ouro” mas perceber que as pedras também tem utilidade e precisamos dar a elas um destino e com isso podemos ir realizando nossos sonhos e cumprindo as etapas e projetos da vida.

Ademar Batista Pereira – educador, diretor da Escola Atuação e articulista do site esominhaopiniao.com.br

Print Friendly, PDF & Email
This entry was posted in Artigos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *